top of page

Família de petista morto por bolsonarista em festa vai receber indenização de R$ 1,7 milhão

Marcelo Arruda foi assassinado em sua festa de 50 anos, em 2022, pelo policial penal Jorge Guaranho




A viúva do tesoureiro do PT assassinado Marcelo Arruda, assassinado por um apoiador de Bolsonaro no sábado (9),  revelou que não foi convidada para participar da conversa que o presidente teve com os irmãos de Marcelo. Ao jornal o O Globo,  Pâmela Suellen Silva contou que não recebeu nenhuma mensagem de solidariedade do governo.  Para ela, o presidente procurou os irmãos poque ambos são seus apoiadores. 


"Ele os procurou porque esses dois irmãos são apoiadores do Bolsonaro, das ideias de direita. Sempre havia essa debates entre eles, mas eles se respeitavam e cada um seguia sua vida", contou.   


Nesta terça-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro ligou para os irmãos de Marcelo Arruda, após ser pressionado pelo comando de sua campanha.  Ele ainda culpou a "esquerda" de "politizar" o caso. 


Pâmela vê um uso político da tragédia. Para ela "Bolsonaro está preocupado com a repercussão política, porque, tanto no vídeo que fez no cercadinho como no que conversa com os irmãos do Marcelo, Bolsonaro diz que estão tentando colocar a culpa nele". 


Marcelo Arruda foi morto a tiros em sua festa de aniversário de 50 anos em Foz do Iguaçu (Paraná). Ele foi assassinado pelo policial penal federal Jorge Guaranho, apoiador do presidente, que também foi baleado e segue internado em estado grave.]


Fonte:

Comments


Leia também:

bottom of page